INDUTORES PARA
USINAS SUCROALCOOLEIRAS

Em muitas Usinas Sucroalcooleiras são comuns problemas relacionados a incrustações em tubulações e equipamentos, estando esses ligados diretamente às características do processo de concentração do caldo. Dentro de todo esse leque de atuação, a Aguaviva Tecnologia trabalha com equipamentos utilizados para o tratamento físico do caldo, os Indutores Eletromagnéticos. A principal função destes equipamentos é minimizar o processo de incrustação e aumentar a eficiência energética do processo.

Os Indutores Eletromagnéticos consistem em um conjunto de equipamentos elétrico eletrônicos, fixados à tubulação, protegidos por uma carcaça com alimentação elétrica fornecida por um painel. No Painel Elétrico que acompanha o equipamento, é possível ajustar a corrente que passa pela bobina, variando o campo magnético na tubulação, sendo possível personalizar o tratamento de acordo com cada sistema.

VANTAGENS

MENOR FORMAÇÃO
DE INCRUSTAÇÕES
MENOS
MANUTENÇÃO
MANUTENÇÃO
FACILITADA
MAIOR INTERVALO
ENTRE AS PARADAS
MAIOR EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

COMO FUNCIONA

1º Minimiza o processo de incrustação
O fenômeno de incrustação é caracterizado pela deposição e acúmulo de materiais indesejados, com baixa solubilidade em água, sobre a superfície de equipamentos e tubulações, gerando perdas em performance e produção destes equipamentos. Diversos fatores podem agravar o processo de formação de incrustação, tais como o aumento de sais no meio devido à evaporação da água; o aumento do pH do meio e variações de temperatura na linha. Equipamentos tais como torres de resfriamento, trocadores de calor, pré aquecedores, evaporadores, caldeiras e fornos estão mais suscetíveis a incrustação, devido à presença destes fatores citados. Uma das formas de controlar a incrustação nos equipamentos e tubulações é por meio da utilização de Indutores Eletromagnéticos.

Os Indutores Eletromagnéticos consistem em um conjunto de equipamentos elétrico eletrônicos, fixados à tubulação, protegidos por uma carcaça com alimentação elétrica fornecida por um painel. No painel, é possível variar a corrente elétrica aplicada na bobina, controlando o campo magnético gerado. O campo magnético gerado inibe o processo de formação de incrustações, principalmente a incrustação calcária através da modificação da estrutura molecular dos cristais de cálcio, passando de uma forma menos solúvel (calcita) para uma mais solúvel (aragonita). A estrutura da aragonita, por ser menos estável e mais solúvel em água do que a da calcita, diminui o potencial de formação de incrustação no meio.

2º Gera incrustações mais “fragilizadas”
Sem o tratamento com indutores, as partículas de cálcio se cristalizam de forma desordenada e estes cristais produzem incrustações firmes e sólidas. A tecnologia modifica a cristalização do calcário e do magnésio usando o processo natural. Os cristais se tornam fragmentados, mais lisos e tendem a não se aderir uns aos outros. Boa parte das incrustações acaba sendo arrastada pelo fluxo. As incrustações que acabam se formando a superfície, além de se formarem em menor quantidade, são muito menos duras e aderentes, facilitando a limpeza dos equipamentos.

Especificamente no processo utilizado nas usinas de cana de açúcar a própria caraterística do caldo faz com que o potencial de incrustação seja extremamente elevado, principalmente em processos com aquecimento e evaporação, e adicionalmente a isso tem-se a adição de cal no caldo, aumentando ainda mais o potencial incrustante, trazendo perdas diretas e indiretas à operação, tais como maior frequência de limpeza, paradas não programadas, maior desgaste de ferramentas durante a limpeza, maior utilização de mão de obra, etc.

Com a utilização da tecnologia de tratamento, é possível tanto reduzir a frequência das limpezas dos evaporadores de caldo de cana quanto diminuir o tempo de execução das limpezas, trazendo grandes ganhos de eficiência e disponibilidade ao processo, bem como menores custos em equipamentos, insumos e mão de obra.

3º Aumenta a Eficiência Energética do processo
Com a menor formação de incrustação nas paredes das tubulações e equipamentos, temos uma resistência menor ao fenômeno de troca térmica, uma vez que a parede de tubulação “lisa” é muito menos espessa que a tubulação incrustada.

Dessa forma, o processo de aquecimento e concentração do caldo pode ocorrer utilizando menor quantidade de combustível ou até em um menor tempo, devido à maior eficiência da operação.

Além da troca de calor mais eficiente, a operação bombas e demais equipamentos é protegido, devido à menor quantidade de sólidos em suspensão, gerando mais confiabilidade ao processo e também aprimorando o tempo de vida útil dos equipamentos.

3

ORÇAMENTOS